É tocar o Rancho de Amor à Ilha e o manezinho se enche de orgulho, lembra da infância, canta mentalmente e dá aquele sorriso que chega a doer os carrinhos de tão aberto. Essa é a principal referência que um mundaréu de gente tem do Cláudio Alvim Barbosa, o Zininho, autor da canção composta para um concurso em 1965 e que virou Hino de Florianópolis. Na semana em que o estimado Zininho completaria 88 anos, a gente te conta um pouco másh sobre ele.

 

:: Ixpia a nossa loja virtual com produtos manezinhos

:: Perdesse uma postagem? Aqui tem todas do Blog!

:: Já curtisse a Soulvenir no Facebook e no Instagram ?

 

Ídolo manezinho, não nasceu em Florianópolis

O estimado é reconhecido como compositor da cidade. Pra cantar tanto amor pela Ilha, era de se esperar que fosse manezinho, né? Pôsh não é que o quiridu nasceu em Três Riachos, ali em Biguaçu? Aliásh, tu já lesse o nosso post Quatro “falsos” manezinhos que a gente adora?

Zininho veio pra cá guri pequeno, se criou no Centro ali pelos lados do Rio da Bulha, ali pra rua Menino Deus.

Zininho? Que apelido é esse?

Tudo bem que manezinho é bom de colocar apelido. Mas já te perguntasse porque ou como o Cláudio Alvim Barbosa virou Zininho? É que, por muito pouco, o estimado não foi batizado com o nome de Orzino. Aí a turma não perdoou e ele virou Zininho desde muito cedo.

 

Escreveu muito, muito másh côza

Se te perguntarem uma composição do Zininho, tu vásh claro citar o Rancho de Amor à Ilha. E tu consegues dizer másh uma, duas, estimad@? Essa é sim a másh famosa, mas o Zininho tem másh de 100 composições. A maioria delas

Neste link tem algumas composições gravadas no Teatro Álvaro de Carvalho em um show wspecial. Carca o dedão no play e descobre um pouco mais da obra do Zininho. A música Largo 13 de Maio, por exemplo, fala um pouco da infância do estimado.

 

Um documento que virou música

Uma das másh curiosas, Miramar, era uma carta do Zininho para o prefeito da época reclamando da derrubada do monumento Boêmio em 1974. O ofício foi adaptado. Diz um trecho:

 

"Senhor prefeito

Por favor, mande recuperar

O nosso velho e querido Miramar"

 

Outras profissões

Zininho era boêmio, poeta e compositor. Mas fez um mundaréu de coisas. Ficou conhecido como o “Gentleman do Samba” quando ganhou programa Semanal na Rádio Guarujá, na época que rádio tava o auge e a raça nem tinha ouvido falar de TV ainda.

Tu tens que ver a quantidade de anúncio de rádio que ele inventou e gravou. Tem algumas delas no acervo  na Casa da Memória, em Florianópolis (ali do Ladinho da Catedral). Lojas que o manezinho conhece bem. Chegou a gravar piadas para a Telesc, daquelas que o cara ligava pra dar uma risada, não tem?

 

Foi  taxista

Mas o Zininho teve barbearia, loja de discos e chegou a ser taxista. Foi aí que ele conheceu o jornalista Manoel de Menezes (pai do Cacau Menezes). Zininho e Manoel viajaram juntos por um mundaréu de lugares com histórias que se o cara for contar, ninguém se acredita!

 

Um cara de sorte

Além de ter altos talento, o Zininho era um cara de sorte. Tu te acreditas que em 1961 ele ganhou uma dinheirada em um sorteio do Governo do Estado?

 

Tour sobre Zininho

Pra aprender mais sobre Zininho, fica de olho na página do Guia Manezinho. No final deste mês, dia 27, vamos fazer um tour pelo Centro de Flonópsh pra contar um pouco da vida do Zininho passando pelos lugares que ele frequentava!. Fica com o bagão do olho aberto porque as vagas são limitadas.